Somalandra | PALUÍ
664
page-template-default,page,page-id-664,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode_popup_menu_push_text_top,hide_top_bar_on_mobile_header,qode-content-sidebar-responsive,transparent_content,qode-theme-ver-12.0.1,qode-theme-bridge,wpb-js-composer js-comp-ver-5.4.2,vc_responsive

A ‘Somalandra’ e o Planeta Paluí:

Festival Imaginarius Infantil

Artefacto interativo potenciador de imaginários sonoros.
Foi apresentada no Imaginarius Infantil (2015), na Biblioteca de Santa Maria da Feira e na Universidade de Aveiro (2017).

Em espetáculos e workshops, coabita o espaço da exposição dos trabalhos de expressão visual e plástica das crianças, possibilitando estender a experiência sensorial dos participantes a um momento auditivo.

É através deste objecto que as crianças podem conectar-se com Paluí: falando e fazendo-lhe perguntas, vivenciando simultaneamente a plasticidade do som.

É com os sons destas falas e recados que Filipe Lopes compõe sonoplastias que depois se exibem em concerto.

 

 

Autores do conceito: Helena Caspurro, Filipe Lopes, Miguel Ferraz e Pedro Carvalho de Almeida

Autor e criador da instalação sonora e interativa: Filipe Lopes

Produção do objeto: Miguel Ferraz

Direção artística: Helena Caspurro e Pedro Carvalho de Almeida

Os habitantes do Paluí são Serolhos, bichos de toda a feição… e sons que se podem ouvir e enviar por uma Somalandra!

 

A Somalandra envia as mensagens e recados de quem com ela falar.